BRASIL PARTICIPA DE AVALIAÇÃO INTERNACIONAL DA RAÇA BONSMARA

Os criadores de gado do Brasil mais uma vez se destacam no cenário mundial. Pela primeira vez na história do setor, uma raça foi avaliada internacionalmente. Trata-se da bonsmara, que recebeu avaliação genética envolvendo todos os países criadores, como Brasil, África do Sul, Austrália, Estados Unidos, Canadá, Argentina, Paraguai, Colômbia, Namíbia e Zimbabwe. Em Mato Grosso, há criadores filiados a Associação Brasileira de Criadores de Bonsmara nos municípios de Juara e em Barra do Garças.

Os dados para avaliação genética da raça foram coletados pelos criadores no ano passado, que descreveram as informações no programa BeefPro, um software desenvolvido especialmente para esta raça. As informações foram enviadas, via internet, para o Centro de Agricultura da África do Sul, onde foram processadas e comparadas com o rebanho internacional. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Bonsmara, Sérgio Armelin, cada pecuarista recebeu um sumário onde pode avaliar a nota que diz a condição de um animal do rebanho, a média geral de seu plantel e a média internacional.

No Brasil, 35 mil animais foram avaliados em quesitos como: diferença esperada na progênie, facilidade de parto, conversão alimentar e qualidade da carne. O rebanho brasileiro é o segundo maior do mundo, atrás apenas da África do Sul.

Em 1937, o governo da África do Sul avaliou que as raças de gado de corte européias não conseguiam sobreviver em condições satisfatórias no clima tropical/subtropical daquele país. Além disso, a principal raça nativa, afrikaner, apesar de resistente ao calor e de ter boa carne, tinha baixa produtividade. Então foi lançado o desafio ao zootecnista Jan Bonsma de criar uma raça de gado de corte que fosse resistente às condições próprias do clima tropical e, ao mesmo tempo, com alta produtividade. Esse desafio deu início a uma série de cruzamentos do Afrikaner com várias raças européias locais. Esse processo de medições e avaliações resultou em um animal 5/8 afrikaner (sanga) e 3/16 hereford e 3/16 shorthorn (taurinos britânicos), o qual tinha excelente “eficiência funcional”. Hoje, o bonsma é a única raça de gado de corte produzida pela ciência, cuja base é: fertilidade, musculatura, adaptação, docilidade e excelente.

O nome da raça foi em homenagem ao professor Bonsma e à estação experimental de Mara, então, bonsmara. Em 1963, foi criada a Associação Sul-africana de Criadores de Bonsmara.

Fonte: Gazeta Digital

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fale com a Jat